Pages

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Tic-tac.


Nunca tive tanta pressa.
Tenho a sensação de carregar uma ampulheta no peito feito pingente e sentir a areia caindo cada vez mais rápido. Sem falar nesse relógio no meu pulso que parece mais acelerado que o normal.
Quanta pressa.
Decidi que até meu tic - tac não terá mais hífen , para adiantar as coisas.
Tictac. Apenas.
Não quero mais essa mesmice.
Quero um tempo curto, uma visita casual, uma saudável correria, a mudança espalhada pela sala, uma espera de quinze dias, ouvir alguém dizer ‘ ei, você cresceu, cortou o cabelo? Senti sua falta’.
Preciso mesmo é reformar umas coisas aqui.
Não quero mais essa insegurança, essa ansiedade, essa pressão nem esse medo. Vai tudo pro lixo. Vou trocar todo esse mistério por livros abertos e um divã.
Não quero mais carne vermelha, refrigerante nem tantas mágoas.
Não quero cair na rotina e ter motivos para desistir. Quero aparecer de vez em quando e dizer o que eu tenho feito de bom, e ter o que contar.
Mas eu tenho tanta pressa.
Talvez amanhã eu comece as obras. Talvez eu doe essas roupas que não uso mais, uns hábitos que não quero mais, e uns sonhos que não almejo mais.
Talvez eu doe sangue. Talvez eu ligue. Talvez eu lembre. [ Maybe ]
Pensando bem, vou começar hoje. Tenho pressa disso tudo porque a sensação é de estar perdendo tempo, então, sinto pressa de me sentir bem.
É pra ontem.
-

mdutra.


-
Hoje o tempo voa, amor.
Escorre pelas mãos

mesmo sem se sentir que não há
tempo que volte amor.
Vamos viver tudo que há pra viver.
Vamos nos permitir. (Lulu S.)

Um comentário:

tainna_almeida disse...

Corre amigahhh que a vida passa depressa..não podemos perder tempo!! ;*